Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Conheça a Política de Cookies.
Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

  • '
    '

    Acpp

    Associação de Cozinheiros Profissionais de Portugal

  • '
    '

    Desde 1977

    Representa os Profissionais Portugueses de Cozinha e Pastelaria

  • '
    '

    Formação Profissional Certificada

    Escola Cozinha e Pastelaria

Whatsapp

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Bolo de Bolacha

bolacha1

Mais um doce que me lembra a minha infância. Desde muito pequenos que fomos, na minha geração, habituados a comer bolacha Maria. De várias formas, até em papa com fruta esmagada ainda crianças de colo a iniciar e aprender a comer. Mas tarde, e mesmo agora, não sei resistir a um atrevido e desafiante bolo de Bolacha. Certo que evoluiu muito nos últimos tempos e se criaram muitas variações na receita tradicional.

Para muitos portugueses com os quais converso, é fácil admitirem, e quase garantirem, que a bolacha Maria é “nossa”. Sempre conhecida como tal e dada a sua produção nacional e o seu grande consumo, ninguém se questiona sobre o assunto.

bolacha2

Início com as bolachas em forma de flor

Parece que a bolacha Maria terá nascido numa pequena padaria inglesa em 1874 para comemorar o casamento da Grande Duquesa Maria Alexandronova (1853-1920) com o Duque de Edimburgo Alfredo de Saxe-Coburgo Gota (1844-1900), segundo filho da Rainha Vitória e do Príncipe Alberto de Saxe-Coburgo Gota, e que foi celebrado com grande pompa com presença da maioria das casas reais reinantes. A bolacha, biscoito seco e de fácil confeção, tinha inscrito o nome MARIA, na face de apresentação, em homenagem á nova Duquesa de Edimburgo. Facilmente adquiri notoriedade e popularidade. Em alguns países estrangeiro, e designadamente nos de língua francesa, é conhecida por bolacha Marie.

bolacha3

Fatia do Site A Chefe Sou Eu

A bolacha Maria é um produto de confeção industrial e contem, basicamente, poucos ingredientes: farinha de trigo, açúcar, gordura vegetal e aroma de baunilha. Como referi atrás é um biscoito seco, espalmado de forma circular com cerca de cinco a seis centímetros de diâmetro e de cor castanho claro, e revelou-se um produto muito polivalente para o grande consumo. Ou simples a acompanhar chá, ou barradas com manteiga e ou compotas ou geleias e até sandes com marmelada. A bolacha Maria tem um papel importante na memória coletivo do povo português e a ele associado um grande peso simbólico.

bolacha4

Fatia do Restaurante Batefundo, Graça, Lisboa

Não sei quem terá inventado a receita, nem consigo fixar com rigor o seu início. Vou contar como se fazia em minha casa que também tinha algumas variantes. É um bolo muito fácil de fazer e que não precisa de ir ao forno.

Começava por se fazer um café de cevada que não seria açucarado, e deixava-se arrefecer. Entretanto juntava-se manteiga com açúcar e batia-se bem até obter um creme macio. Por vezes, quando havia muitas natas, também se batiam as natas com açúcar e ficávamos com um creme chantilly. Com a ajuda de uma escumadeira mergulhavam-se rapidamente as bolachas no café, cuidado para não ficarem muito ensopadas, e colocavam-se num prato de apresentação. A primeira bolacha era colocada ao centro e seguidamente outras à sua volta, habitualmente eram seis. Colocadas as primeiras bolachas em forma de flor, como se vê na foto, cobriam-se com uma ligeira camada do creme. E iam-se colocando camadas sucessivas de bolachas intermediadas por creme. No final, e com a ajuda de uma espátula cobria-se completamente o bolo com o creme e depois duas horas no frigorífico era o suficiente para poder ser servido. Hoje em dia também se faz em versão semifrio.

bolacha5

Fatia da Cervejaria Edmundo, Benfica, Lisboa

As variantes que também se faziam em minha casa começavam com a bolacha que, de vez em quando, era substituída por bolacha torrada. Em vez do café algumas vezes as bolachas eram molhadas com chá preto forte. O creme também podia ter pequenas variações com a adição de coco ralado ou amêndoa pisada. Atualmente para o creme vejo juntar gemas de ovo que me inspiram algum cuidado por não irão cozer. Já lá vai o tempo em que conhecíamos a galinha que punha os ovos…! Para algumas confeções nas quais não há cozedura do ovo eu recomendo a utilização de ovo pasteurizado.

bolacha7a

 Bolo montado, do Site Teleculinaria

Aqui está uma solução rápida e que pode ser tão atrativa quanto nós desejarmos com adição de outros alimentos.

© Virgílio Nogueiro Gomes

bolacha6

Pacote de bolacha Maria adquirido em Fortaleza, Brasil

Acessos: 8577
Tagged Under

Visitantes

Temos 447 visitantes e 0 membros em linha

Morada

Morada: Rua de Sant`Ana à Lapa,
nº 71 C, 1200 - 798 Lisboa.
Telefone: +351 21 362 27 05
TM: +351 915 284 991

Mail / Sites

Geral: acpp@acpp.pt 
Formação: formacao@acpp.pt  
Marketing: marketing@acpp.pt
Site: http://www.acpp.pt
Formação: http://www.acpp.com.pt